Em Destaque

Praia da Calheta tem sistema inovador

 Depois da instalação de um sistema inovador na Praia da Calheta que mede a temperatura ambiente, a temperatura da água balnear e a força das radiações ultravioletas, segue-se o lançamento da App ‘OptiSun’. 

Desde o início da época balnear que a Praia da Calheta conta com um painel informativo que disponibiliza aos banhistas esse tipo de informação atualizada ao segundo, informação que é disponibilizada, também, na página do Município.

A novidade agora é a aplicação móvel que dá dicas personalizadas relativamente às medidas de proteção à exposição solar consoante o nível de radiação e o tipo de pele de cada indivíduo.

Um investimento a pensar na Saúde Pública que tem sido complementado com outras atividades, nomeadamente ações de sensibilização e campanhas de prevenção solar. Ainda na semana passada, tivemos a oportunidade de inquirir os banhistas da nossa praia com o objetivo de aferir o conhecimento sobre o índice de radiação ultravioleta (IUV) e a utilidade dos equipamentos e serviços enquadrados no projeto IUVSense, que está a ser desenvolvido pela empresa Optisigma. Uma atividade que decorreu em paralelo com uma campanha de prevenção solar a cargo do Núcleo Regional da Madeira da Liga Portuguesa Contra o Cancro - "Com o sol não se brinca". O objetivo é consciencializar e alertar a população sobre os benefícios e malefícios da exposição solar, potencializando a aprendizagem e a implementação de novos hábitos. 

Na oportunidade, foi montada uma tenda onde foram desenvolvidas atividades lúdicas de sensibilização junto de crianças e jovens, sendo que no local esteve também um profissional de saúde para esclarecer todas as dúvidas relacionadas com o tema em questão. A Liga também distribuiu material informativo junto dos banhistas, com a indicação de comportamentos mais saudáveis durante a exposição solar.

Apesar da luz solar ser essencial para o funcionamento do nosso organismo, a exposição excessiva aos raios solares, nomeadamente à radiação ultravioleta, tem efeitos nocivos na nossa pele.

Ciente de que essa exposição acontece principalmente nas piscinas e nas praias, e sendo a Praia da Calheta um dos espaços mais procurados pelos banhistas, a Autarquia local não quis ficar indiferente a esta causa, apostando, para o efeito, em sistemas inovadores que promovam a saúde pública de todos os seus utilizadores.

 

320 mil euros melhoram rede de água no Arco

A Câmara Municipal da Calheta está a remodelar a rede de distribuição de água potável no Arco da Calheta. Um dos investimentos consiste na montagem de uma nova conduta que permite reforçar o caudal de água para esta zona.

Os trabalhos decorreram ao longo da última semana e motivaram, aliás, um alerta da Autarquia para a possível falta de água. O investimento, na ordem dos 30.418 euros, já está concluído e será importante para evitar falhas no abastecimento de água no Arco da Calheta, uma das zonas onde este tipo de intervenção se torna mais urgente, tendo em conta o elevado número de construções e o consequente aumento do consumo de água.

Uma realidade que tem motivado particular atenção por parte do Município que, já desde o início do mandato, tem procurado minimizar os impactos deste elevado consumo na freguesia, desde logo com a construção de um reservatório de água potável no Lombo do Brasil, em 2018, um investimento avultado na ordem dos 200.578 euros.

Também no ano passado, a Câmara Municipal investiu 22.462 euros na construção de um tanque e posto de cloragem para água potável no sítio do Pinheiro.

Muito em breve, será também construído um novo reservatório de água potável na Achada de Santo Antão, no Arco da Calheta. A intervenção, que já está adjudicada e prestes a ser concretizada, custará cerca de 65.500 mil euros e irá deixar a população desta freguesia bem abastecida em termos de água.

De referir, contudo, que as melhorias na rede de água potável têm ocorrido um pouco por todas as freguesias do concelho, um investimento bastante abrangente que inclui manutenção e renovação das redes já existentes e ainda a construção de novos tanques, num esforço financeiro que ronda já os 1,4 milhões de euros só neste mandato.

Apesar do investimento expressivo na área, o Município da Calheta continua a apelar à poupança da água, reforçando a importância de evitar desperdícios através do consumo consciente. “Vamos preservar o planeta e garantir que todos tenham acesso a este bem precioso”, reforça, em jeito de apelo, o Executivo liderado por Carlos Teles.

Sete novas carrinhas para o transporte escolar

A Câmara Municipal da Calheta apresentou esta quarta-feira, dia 14 de julho, a nova frota automóvel destinada ao transporte escolar do concelho que irá servir, sobretudo, os alunos do 1ºCiclo de ensino. Trata-se de um investimento camarário na ordem dos 675 mil euros, que irá dotar este serviço de veículos mais recentes e também mais seguros.

São sete as novas viaturas pesadas de passageiros, com capacidade para 17 lugares, que serão disponibilizadas para este fim.

O Executivo camarário dá, assim, por cumprida mais uma promessa eleitoral do atual mandato, sendo esta a conclusão da segunda fase deste processo de renovação da frota automóvel.

Recorde-se que no final de 2019 o Município já havia adquirido uma dezena de novos automóveis, entre os quais um veículo elétrico, uma aposta a pensar no meio ambiente.

De destacar ainda um veículo pesado de mercadorias com grua, importante para a área da proteção civil, as novas carrinhas de nove lugares para o transporte de passageiros no Rabaçal, entre outros veículos destinados ao trabalho operacional do Município.

Estamos perante um investimento global a rondar os 900 mil euros, o que representa um esforço financeiro com um certo “peso” para o orçamento camarário, mas que já está a ser compensado pela poupança na manutenção e nas despesas com as oficinas.

Afinal, estávamos perante uma frota automóvel que já tinha alguns anos, muitos quilómetros e que já obrigava a despesas de manutenção elevadas. Para além da diminuição dos gastos, estamos perante automóveis menos poluentes e mais seguros, o que melhora a prestação do serviço e a própria imagem pública.

 

Partilhe Esta Página