• Prazeres

  • 1

Freguesia dos Prazeres

 

 
Área: 13 km2
População: 704 habitantes (Censos de 2011)
Densidade populacional: 51,7 hab/km2
Distância à sede do Concelho: 7,6 km

 

História

 

Primitivamente ligada à freguesia do Estreito da Calheta, a freguesia dos Prazeres tornou-se independente juntamente com alguns casais da Fajã da Ovelha a 28 de Dezembro de 1676.
A sua designação provém de uma pequena ermida dedicada a Nossa Senhora dos Prazeres, ali edificada muito anteriormente à criação da paróquia.
Porque a beleza tem o condão benéfico de enaltecer os sentidos, o prazer da paisagem é aqui uma fácil conquista! A freguesia é, em si, um amplo miradouro de onde se avistam locais aparentemente distantes, em perfeita simbiose com o oceano, ponto de encontro único entre a terra e o mar.

 

Património Histórico Edificado

 

Igreja Paroquial de Nossa Senhora das Neves

 

 

 Em 1676, um alvará de D. Pedro II facultou ao bispo D. Fr. António Teles a desmembração de ermida de Nossa Senhora das Neves, dependente que era do Estreito da Calheta, para com alguns casais apartados da Fajã da Ovelha, ser formada uma nova freguesia.

As obras para a igreja postas em licitação pelo Conselho de Fazenda, em 1689, foram arrematadas por Manuel dos Santos, sendo então vigário de Nossa Senhora dos Prazeres, o Padre Manuel Dias Pinheiro.

Mandou o Conselho da Fazenda, em 20 de Novembro de 1745, construir uma nova igreja, em local distante da primeira. Uma provisão de Junho de 1784 concede três arrobas de cera e três cântaros de azeite à confraria do Santíssimo de Nossa Senhora dos Prazeres.

No tempo do domínio miguelista foi esta igreja roubada e profanado o sacrário, o que causou uma geral indignação, sendo mandados celebrar desagravos em todas as igrejas. O Bispo publicou ainda uma pastoral alusiva a este sacrilégio.

 

Infraestruturas

 

 

 

Próximo Artigo: