O concelho da Calheta está em modo “Festa da Flor”. A decoração, alvo de rasgados elogios, foi apresentada na última sexta-feira na presença de muitos curiosos, não só de residentes mas também de turistas que por esta altura passam férias no concelho.

Entre os presentes, encontravam-se dezenas de crianças convidadas pelo Município para fazerem parte daquele que é um dos momentos altos do certame: a construção do Mural da Esperança. O momento, carregado de simbolismo, ficou a cargo dos alunos do 4º ano de escolaridade das diversas escolas do concelho que desceram até a Vila da Calheta para depositar uma flor no mural, uma iniciativa que representa um apelo à esperança e à paz no mundo, sendo simultaneamente uma chamada de atenção para uma maior consciencialização ambiental e redução da nossa pegada ecológica.

Destaque ainda para o significado associado à própria decoração instalada nos Jardins dos Paços do Concelho, que tem este ano como atração as cascatas florais de petúnias vermelhas. Estas flores simbolizam a transformação e a sabedoria e a escolha da cor vermelha foi propositada por ser o símbolo do amor, único sentimento capaz de acabar com a guerra.

 Uma mensagem que a Câmara Municipal da Calheta quer fazer chegar a todos os que por estes dias visitem o concelho, tendo para o efeito instalado uma placa no local da decoração, em português e em inglês, a explicar os pormenores desta iniciativa.

“Mais do que um contributo à Festa da Flor, o Município procurou enriquecer o evento dando-lhe um significado ainda maior numa altura em que o apelo à paz é tão oportuno”, vincou a vice-presidente da Autarquia, Doroteia Leça, que juntamente com o presidente Carlos Teles e o vereador Aleixo Abreu assistiu ao momento que é já uma tradição no concelho. A responsável pela pasta do Turismo e Cultura no Município da Calheta revelou-se satisfeita por ver tantos turistas a pararem no local e a registarem com fotografias esta iniciativa que, de resto, é mais uma forma de promoção. 

 

Partilhe Esta Página