O Presidente da Câmara Municipal da Calheta vai propor esta quinta-feira em reunião de Câmara que a escola de Ladeira e Lamaceiros, no Arco da Calheta, passe a denominar-se EB1/PE/C Dr. Manuel da Silva Leça.

A ideia, que já vinha a ser pensada há algum tempo, ganha forma agora por ocasião do 90º aniversário desta figura que é tão reconhecida no concelho.

Nascido 30 de março de 1932 na freguesia do Arco da Calheta - onde ainda hoje reside -, Manuel da Silva Leça dedicou grande parte da sua vida à Educação. Foi professor e diretor da Escola Preparatória Simão Gonçalves da Câmara, onde se localiza agora o Edifício Paços do Concelho, tendo também exercido os respetivos cargos na Escola Básica e Secundária da Calheta, construída entretanto no sítio da Vargem.

Decorrida praticamente uma década a ensinar e a transmitir conhecimento, Manuel Leça é desafiado a entrar na política. Em 1980 é eleito deputado pelo círculo da Calheta para a Assembleia Legislativa da Madeira, tendo também exercido o cargo de deputado na Assembleia da República, em regime de substituição.

Em 1982 é eleito presidente da Câmara Municipal da Calheta, cargo que exerceu até 1993, data a partir da qual assumiu a presidência da Assembleia Municipal da Calheta.

Nas últimas duas décadas, já aposentado, o ex-professor não tem ficado de braços cruzados, dedicando-se ao estudo da história local, focando-se sobretudo na freguesia do Arco da Calheta, deixando mais conhecimento às gerações vindouras.

Recorde-se que ainda recentemente foi desafiado pelo professor Paulo Ladeira a participar num trabalho de investigação que culminou com a publicação do livro “Arco da Calheta, Património Religioso e alguns aspetos do quotidiano”, sendo inclusive o autor de um dos capítulos dedicado aos “costumes religiosos e sociais nesta freguesia, nos anos de 1930 a 1950”.

“O Dr. Manuel Leça já deu muito de si ao concelho e às suas gentes, não só como professor, mas também como político e até mesmo pela pessoa humilde que é”, sublinhou o presidente Carlos Teles, justificando a razão desta “justa e merecida homenagem a este grande Homem”.

“Eu sou da opinião que as pessoas devem ser homenageadas em vida e esta é, portanto, uma boa oportunidade para fazê-lo”, prosseguiu o autarca que, entretanto, já discutiu o assunto com o diretor da escola de Ladeira e Lamaceiros e com o secretário regional da Educação, Ciência e Tecnologia, de quem recebeu “luz verde” relativamente ao assunto.

 

Partilhe Esta Página