A Câmara Municipal da Calheta aprovou no passado dia 17 de março um voto de louvor aos arquitetos naturais do concelho que foram distinguidos no concurso ‘Prémio de Arquitetura da Madeira e Porto Santo 2021’.

Um dos votos de louvor foi atribuído à arquiteta Carolina Sumares, natural do Jardim do Mar que, num projeto conjunto com Rik den Heijer, conquistou o primeiro lugar neste concurso promovido pela Secção Regional da Madeira da Ordem dos Arquitetos, numa parceria com a Secretaria Regional do Turismo e Cultura. Trata-se do projeto ‘Casas da Vargem’, do ‘Studio Dois Arquitetura’, que está implementado no concelho da Ponta do Sol.

Destaque também, nesta edição, para a atribuição de uma Menção Honrosa ao projeto ‘Savoy Residence’, da autoria da ‘RH+ Arquitectos’, gabinete que tem como sócio o arquiteto Roberto Castro, também natural deste concelho.

Ambas as distinções mereceram o reconhecimento da Autarquia da Calheta, através da aprovação de um voto de louvor proposto pelo presidente da Câmara. Carlos Teles elogiou os projetos de “alta qualidade” que têm sido apresentados por ambos os arquitetos e explicou que este é, também, um reconhecimento por todo o trabalho e empenho destes profissionais na valorização e promoção do destino Calheta. “Que este reconhecimento sirva de incentivo a outros profissionais desta área que são imprescindíveis na integração e valorização urbanística da construção realizada no concelho”, acrescentou o autarca, destacando a importância de salvaguardar a paisagem rural que é o garante do futuro do investimento na Calheta.

 

Partilhe Esta Página