O presidente da Câmara Municipal da Calheta disse, ontem, que a homenagem aos ex-combatentes foi a melhor forma de iniciar as comemorações do 519º aniversário do Município, que se assinala no próximo dia 24 de junho. 

“Estamos hoje aqui reunidos com um propósito, o de realçar a importância de não esquecermos a nossa história, aliada ao reconhecimento que devemos, todos nós, àqueles que de uma forma ou de outra honraram a nossa terra, no caso concreto os nossos combatentes que com elevado sentido Patriótico, em condições adversas, enfrentando dificuldades, deixando para trás os seus familiares, aqueles que mais amavam, lutaram pela nossa Pátria, muitos custando-lhes essa bravura a sua própria vida”, transmitiu Carlos Teles, perante a presença das mais altas entidades da nossa Região e de uma plateia maioritariamente composta por ex-combatentes do concelho da Calheta e seus familiares.

“Entendemos que nenhuma terra nem nenhuma sociedade se afirma se não dignificar a sua história e o seu passado”, insistiu, explicando que a escultura elaborada por Patrícia Sumares pretende ser uma homenagem e um reconhecimento por tudo aquilo que os combatentes representam para o Município. 

O Monumento, da autoria de uma filha da terra, mais concretamente da freguesia do Jardim do Mar, está implantado no jardim em frente aos Paços do Concelho.

De referir que na cerimónia estiveram presentes diversas entidades regionais, entre as quais o Representante da República para a Madeira, o Juíz Ireneu Barreto, o presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, o secretário regional da Educação, Ciência e Tecnologia,  Jorge Carvalho, entre outras autoridades civis, militares e religiosas.

 

 

Partilhe Esta Página