A Câmara Municipal da Calheta acaba de aprovar a elaboração de um estudo de avaliação e quantificação do Bairro Habitacional do Paul do Mar.

 

O objetivo é avaliar as necessidades dos cerca de 56 fogos existentes naquela zona e melhorar as condições de habitabilidade dos residentes. 

 

Segundo o presidente Carlos Teles, esta “é uma necessidade que temos vindo a registar, sobretudo através de alguns pedidos de moradores, e este estudo que mandamos fazer, além de avaliar alguns problemas que temos de resolver nos diversos edifícios, vai indicar as reparações mais prementes e a possibilidade de concretizarmos um conjunto de fogos de modo a colmatar um problema que temos vindo a sentir, oferecendo, se possível, mais algum além dos que já existem”.

 

A ideia é, pois, ampliar também esta zona habitacional, criando novos fogos que poderão surgir nos arredores, mais concretamente na antiga escola do 1º Ciclo, que se encontra desativada, e cujo prédio faz confrontação com o edifício do bairro social. “Ficamos com um espaço que é nosso mas que neste momento não está a ser usado, ou seja pode haver aqui uma oportunidade para realizarmos um investimento não muito avultado e que permitirá resolver alguns constrangimentos nesta área”, explicou o presidente da Autarquia, lembrando que esta é mais uma medida de apoio social que a Câmara da Calheta leva a cabo. De referir, inclusive, que as famílias residentes nestes espaços habitacionais estão isentas do pagamento das rendas até o dia 30 de junho, uma forma de minimizar os impactos causados pela pandemia da Covid-19 que tem afetado as famílias e as empresas do concelho.

 

Partilhe Esta Página